segunda-feira, 23 de abril de 2012

(crítica - disco) Vatican Shadow - Kneel Before Religion Icons (2012 [2011]; Type Records, EUA)


























A guinada dada pelo Prurient em direção a uma sonoridade mais rítmica (como é o caso dos discos Bermuda Drain e Time's Arrow) é normalmente associada à parceria entre Dominick Fernow e Wesley Eisold no projeto Cold Cave. Trata-se de uma verdade, mas não de uma verdade absoluta. Para os fãs mais xiitas, discos como Pleasure Ground (2006) já apontavam indícios de mudanças em um futuro próximo. Mas foi no side-project Vatican Shadow que Dominick encontrou o lugar ideal para explorar loops de drum machine e sintetizadores atmosféricos. Desde o seu surgimento, o VS vem lançando álbuns em uma velocidade absurda (só em 2011 foram seis), e o ano de 2012 promete ser igualmente produtivo, com dois lançamentos até o presente momento: Iraqi Praetorian Guard (um álbum de remixes) e o relançamento em vinil de Kneel Before Religious Icons, originalmente lançado em Janeiro de 2011 em formato de cassette quadruplo e limitado a ridículas 33 cópias (tal excentricidade é uma constante no catálogo da Hospital Productions).

A idéia de um projeto de música eletrônica que tem tara por assuntos ligados ao cenário político/social/religioso oriente médio e sua conturbada relação com o ocidente não é tão original assim. Muito antes, o Muslimgauze explorou esse universo. Mas as semelhanças acabam ai. Enquanto o projeto de Bryn Jones construiu uma carreira mais direcionada para o experimentalismo e a IDM, o VS constrói camadas hipnóticas de synth por cima de beats de pouca variação.

Repetição talvez seja uma das palavras-chave de Kneel Before Religious Icons, drum loops que começam e terminam do mesmo jeito, deixando pro synth a tarefa de guiar a música. Em alguns momentos, resulta em uma melodia altamente dançante, como é o caso de "Church Of All Images", em outros, parece desaparecer em meio a um beat à beira do caos. O kick, muito presente no decorrer das oito faixas, é carregado de distorção e se assemelha a uma avalanche, amontoados em um formato vertiginoso. Em faixas como "Chopper Crash Marines' Names Released", os loops ganham o acréscimo de sons metálicos, inspirados na velha escola do industrial. "Worshippers at the Same Mosque" e "Final Victory..." têm linhas de baixo mais bem definidas e  beats mais firmes, um pouco diferente das demais faixas do álbum e mais próximas da sonoridade de seus trabalhos mais recentes. Um ótimo registro da faceta mais crua do Vatican Shadow, um excelente relançamento da Type Records.

Fica a dica: o debut Byzantine Private CIA tem seu relançamento (também em vinil) previsto para 2012.

Thiago Miazzo

Nenhum comentário: