terça-feira, 5 de junho de 2012

(crítica - disco) D'eon - LP (2012; Hippos in Tanks, Canadá)


























O aclamado Visions — trabalho mais recente de Claire "Grimes" Boucher e o primeiro a ser lançado por uma grande gravadora — deixou muita gente com a pulga atrás da orelha. Afinal, quem é essa menina que aos 23 anos conseguiu descolar um contrato com a 4AD, e mais do que isso, quem são Doldrums e Majical Cloudz, respectivos co-autores das faixas "Colour of the Midnight" e "Nightmusic"? Sem querer, Claire jogou luz sobre uma cena que até então estava fadada ao anonimato e trabalhos de baixa repercussão. Mergulhando um pouco mais a fundo no passado da Claire, esbarramos no split Darkbloom, fruto da parceria com o conterrâneo D'eon, que acaba de lançar seu segundo disco-solo, um álbum duplo com o sugestivo nome LP.

A fórmula de LP é muito semelhante a do já citado Visions, experimentalismo eletrônico que flerta com o pop sem se prender ao óbvio. As linhas vocais, inspiradas no r&b, dão um toque altamente assobiável. Musicalmente mais ousado, D'eon faz uso de linhas progressivas de teclado e beats instáveis que em momentos como "Signals Intelligence" beiram a IDM, atingindo picos de absurda complexidade.

Sua obra chama a atenção pelo aspecto mutável, transitando por ambientações ruidosas e passagens de apelo pop sem qualquer sinal de autocensura, "Now Your Do" e "Al-Qiyamah" são exemplos excelentes da autenticidade do artista. O uso do reverse e do pitch shifter nos vocais de fundo são uma constante em todo o disco; mesmo assim, faixas como "Virgin Body" e "Transparency pt II" não trazem grandes novidades a um cenário musical que ainda não curou a ressaca da chillwave e do dream pop representado por artistas como How To Dress Well, Boy Friend e Sleep Over.

Assim como a colega Grimes, D’eon faz parte de uma geração que não parece se contentar em seguir uma única direção, absorvendo todas as referências que estão ao redor, explorando texturas que não se limitam à base do seu projeto. Mesmo sem possuir o carisma de um Visions, álbum que acertou em cheio na mistura entre caos e relaxamento, criando um universo mágico de timbres esquisitos e ruídos gostosos de ouvir.

Thiago Miazzo

Ouça "Signals Intelligence" e "Now Your Do"

Nenhum comentário: