quarta-feira, 1 de agosto de 2012

(crítica - disco) Bodyguard - Silica Gel [2012; EUA]























As sementes do Bodyguard foram lançadas no final de 2011, quando James Ferraro botou pra jogo a mixtape "Inhale C-4 $$$$$" sob a alcunha BEBETUNE$. Demorou um tempo, mas consegui curtir essa onda meio chopped and screwed do Ferraro. Mesmo fugindo um pouco do terreno do noise e do drone, as composições conservam a influência do gênero, seja em um beat de timbragem zuada ou em um loop à lá Skaters que dissolve em uma linha bonita de synth.

Ao longo de Silica Gel, Ferraro remove de forma cirúrgica trechos de cultura pop e post-internet e dá a eles nova vida em forma de loops persistentes, que despertam estranheza e confusão.  "Raiden - Blue Lights # NZT - 48" não soa como uma música pras pistas de dança, e sim a trilha sonora da volta para casa, caminhando meio bêbado, atravessando a rua sem olhar para os lados, completamente imerso nos headphones. Essa aura embriagada se faz presente em diversas passagens, com destaque para a bela "Liquid Metal #TCIZ4". 

Os sete minutos de "H.U.M2.E.R", com vocais que alternam entre efeitos robóticos na hora do verso e refrão de pitch no chão, sempre acompanhado por um "yeah baby, yeah baby..." sampleado de alguma dessas divas pop que eu não sei diferenciar uma das outras. "SEX TAPE" tem seu ritmo marcado pelo clique de uma arma, que não aparece como na manjada "Paper Planes" da M.I.A., mas sim como o instrumento-guia da música, apenas uma das muitas belas sacadas que permeiam o álbum. Ouça Silica Gel e fique atento ao próximo disco, um lançamento previsto para 2012 via Hippos in Tanks.


Ouça o álbum na íntegra, clicando abaixo:

BODYGUARD - SILICA GEL

Nenhum comentário: