terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Cremation Lily – Age of Consent (2012; Strange Rules, Reino Unido)



Formado em 2011 na Inglaterra (a meca da música industrial), o Cremation Lily faz harsh noise com referências de field recordings. Com um microfone de contato, o artista capta as mais diversas superfícies, criando texturas que vão da manipulação direta do mic até a mais ruidosa wall noise . Definitivamente, não se trata de algo fácil de ouvir. Soma-se à agressividade habitual do harsh noise o seu talento para criar climas soturnos, de modo que eu não ficaria nada surpreso se alguém me falasse que Age of Consent foi inteiramente gravado em uma fábrica abandonada ou em um banheiro público, tirando da superfície de alumínio do mictório os ruídos presentes no álbum.

Uma característica marcante nos trabalhos do CL é a forma autêntica como a música se desenvolve, mantendo o pé no improviso e na música livre. Parecem ter sido registradas em uma única tacada, aos moldes de um disco ao vivo. Logo na primeira faixa, “Soaked in Piss”, o artista já deixa claro que prefere que sua música cresça naturalmente, limitando o uso de tape loops. A microfonia controlada guia a música quase que em sua totalidade, deixando para o fim as técnicas de field recordings, captando o som da água, em uma clara referência ao escrotíssimo título. “Swings/Touching” parte da molhaceira deixada pela música anterior e ganha corpo de maneira gradativa, tornando o ambiente cada vez mais inóspito e hostil, culminando na agressiva “He Told Me”. Ok, as demais faixas também são, mas o vocal de pitch baixo e estrutura constante torna essa faixa a mais casca-grossa de todo o álbum. Você não bota fé no muro de feedback que esse maluco conseguiu arrancar do P.A., acompanhado pela já citada microfonia, que nessa faixa mais parece um trem que escapou dos trilhos, ou o som proveniente de um engavetamento quilométrico. “Never Tell” encerra o álbum sem grandes surpresas, um harsh noise truculento que descarta as passagens climáticas, instrumentos adicionais ou qualquer outra referência não encontrada nas demais faixas.

Apesar de ter sido lançado como um cassette duplo, Age of Consent é bem curtinho, sequer atinge os 20 minutos de duração. Nada estranho para uma discografia extensa mas que, por outro lado, é inteiramente composta por lançamentos em formato c10 (fitas cassette de até 10 minutos de duração). Tá mais que na hora do CL soltar um LP ou um cassette de duração convencional. Limitado a 16 cópias. 

Thiago Miazzo

Nenhum comentário: